© 2019 Senador Sérgio Petecão -  Desenvolvido por Linnyki Fernandes

Petecão está preocupado com a enchente

Petecão lembrou que as alagações do rio Acre, infelizmente, costumam ter um alvo preferencial entre os mais carentes, "sobretudo idosos e crianças que são os que mais sofrem e precisam do auxílio imediato do Poder Público, principalmente em termos de abrigo, alimentação e assistência médica para prevenção de doenças". O senador disse ainda que o importante neste momento é agilizar a liberação de recursos federais para a capital e os municípios atingidos pela cheia, ”além de mobilizar a sociedade civil organizada através de suas entidades para o atendimento aos mais carentes. Aliás, seria uma excelente oportunidade para lançar a idéia de construção de casas populares longe das áreas de risco”.


A prioridade, segundo o parlamentar, é estar em estreito contato com os órgãos governamentais do ramo, como Defesa Civil, e traçar um planejamento estratégico que compreenda atenção e socorro aos atingidos, como também prevenção e alerta às áreas sob risco iminente. Petecão estendeu sua solidariedade a todas as comunidades acreanas dos municípios do Vale do Acre- Assis Brasil, Brasiléia, Epitaciolândia, Xapuri e Rio Branco- em especial às famílias mais vulneráveis , cujas casas sofreram a invasão das águas para que ,mais uma vez, enfrentem com coragem e determinação esta hora difícil,”que com toda certeza vai ter um final breve em função da assistência oficial e da apoio típico que todo acreano dá a seu irmão em dificuldade”.


O senador falou ainda que ficou bastante aliviado ao saber que o próprio ministro da Integração, Fernando Bezerra, se dispôs a ver in loco, esta sexta-feira, as dificuldades e apuros que muitos acreanos atravessam neste momento em função das cheias do rio Acre. “Felizmente o ministro atendeu as solicitações feitas na tribuna do Senado”. De acordo com Petecão, o Governo Federal dispõe de recursos, mecanismos e pessoal especializado para a ajuda e assistência imediata a estes tipos de calamidade pública que infelizmente acomete, vez por outra, alguns vales do Estado do Acre. ”O importante é acionar as entidades adequadas para o socorro e pronto atendimento dos desabrigados e levar uma palavra amiga e de consolo a quem enfrenta este tipo de provação”.