Petecão acompanha vítimas do DDT junto à Secretaria dos Direitos Humanos

O senador Sérgio Petecão(PMN), juntamente com a deputada Perpetua Almeida (PCdoB), esteve esta terça-feira (28) com os representantes das vítimas do DDT numa reunião em Brasília com a ministra dos Direitos Humanos, Maria do Rosário. No encontro, foi feito um apelo emocionado para que a ministra interceda junto às autoridades federais para que as vítimas do DDT tenham maior assistência. Segundo relatos, o Acre conta com o maior número de atingidos (inclusive com 92 mortes e 12 mutilados) pela manipulação indevida do inseticida. "É uma questão humanitária", disse Petecão, que há anos acompanha a luta dos ex-guardas da extinta Superintendência de Campanha da Malária (Sucam) junto às autoridades federais.


Os representantes das vítimas do DDT, liderados pelo acreano Aldo Moura da Silva, deixaram uma lista de reivindicação com a ministra. Eles afirmam que grande parte das vítimas sofre de câncer. Maria do Rosário prometeu dar encaminhamento sobretudo para a área de saúde. Segundo Petecão, o Governo Federal tem uma dívida de honra junto aos ex-guardas sanitários, ”já que trabalharam pela saúde pública”. O senador informou ainda que conseguiu aprovar no Senado Federal uma audiência pública para debater o problema dos atingidos pelo DDT “e solicitar do Governo Federal uma resposta definitiva para um problema que se arrasta há tanto tempo com tantas vítimas”.


De acordo com os relatos, o DDT foi utilizado indevidamente pelos chamados “mata-mosquitos” de 1952 até os anos 90(dez anos depois de ter sido proibido). Petecão afirmou que segundo depoimentos, os ex-guardas da Sucam não tinham qualquer conhecimento do poder danoso do inseticida ao organismo humano. Por isto, além de inalar o inseticida, faziam a manipulação sem máscaras ou luvas.”Foram autênticas vítimas.Não houve qualquer esclarecimento do perigo”, informou o senador.

© 2019 Senador Sérgio Petecão -  Desenvolvido por Linnyki Fernandes